<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6455201\x26blogName\x3dsomatos+\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://somatos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://somatos.blogspot.com/\x26vt\x3d-4926936997051577480', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

fevereiro 11, 2007

ainda sobre a treta do referendo
(com o qual não concordo: os legisladores é que deveriam ter corrigido a lei sem prolongamentos aborrecidos e exaustivos há anos)



i.
aquando do 1º referendo sobre a despenalização da ivg em portugal, alguém da família espírito santo, e alguém elevadas responsabilidades no banco espírito santo, declarou que a sua família e os seus valores defendiam sempre a vida da criança - n.b.: um feijão com dez semanas e sem cérebro não é uma criança - obliterando qualquer obstáculo psico-socio-ecónomico que a mulher-mãe argumentasse.
por esse motivo, mudei de banco. fui ao balcão de uma filial e disse que queria fechar a conta. não podia manter o meu dinheiro num banco com ideias tão retrógadas. o caixeiro confirmou: era a 1ª vez que alguém apresentava esse motivo para encerramento de conta bancária.

ii.
no dia anterior ao referendo, a bbc news dedicou 30 minutos a uma reportagem sobre o "fenómeno do dilema decisional" que se vivia, então, em portugal. o jornalista rematou dizendo qualquer coisa como "não faz sentido votar não, mas tratando-se de portugal, é compreensível que isso aconteça".
Blogger j disse...

E para que banco progressista mudaste a tua continha?! Para eu também usar...

12/2/07 09:43  
Blogger cassandra disse...

sou uma patriota: decidi-me pela caixa galicia.

12/2/07 20:14  

diz ...