<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6455201\x26blogName\x3dsomatos+\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://somatos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://somatos.blogspot.com/\x26vt\x3d-4926936997051577480', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

agosto 02, 2005

one side of me
Blogger Luis Serpa disse...

"Quand on regarde quelqu'un, on en voit que la moitié", diz a versão francesa de um provérbio inevitavelmente chinês,

"Quando se olha para alguém, só se vê metade dessa pessoa".

3/8/05 20:56  
Blogger Ardente_Mente disse...

mesmo tu desconheces todos os teus lados

3/8/05 22:36  
Blogger Luis Serpa disse...

Pois, somos dados dos quais desconhecemos os números, a quantidade de faces, as probabilidades. Somos dados, somos oferecidos, e não sabemos a quem, nem por quem.

A cor do tapete varia: para uns é verde, azul para outros, castanho ou negro. Mas não sabemos, não sabemos quem somos, nem por quem somos. Às vezes pensamos - e enganamo-nos - saber para quem somos. Enganamo-nos. - Para quem? Tão pouco o quem sabe que somos, o que fomos. Não há por, para quem: somos os lados únicos e perdidos num tapete de quem desconhecemos os donos - só alguns O conhecem, coitados, ou pelo menos tentam fazer-nos crer que O conhecem.

Qual é a cor do teu tapete? Qual é o teu tapete? De quem és o dado, ou a quem? Quantos lados és, sabes?

("Tais-toi et baise", dir-te-ia alguém para quem estas questões há muito encontraram resposta).

4/8/05 00:32  
Blogger cassandra disse...

vocês, homens, complicam tudo (nem sei como têm coragem de dizer que nós, as meninas, é que somos complicadas): não me interessa quantos lados tenho, não é importante para conseguir ser feliz. e não sei de que cor é o tapete ou quem é o dono - o ideal seria que ele fosse o seu próprio dono -, mas isso são questões irrelevantes. é o desconhecido que nos faz avançar em frente. se as perguntas forem sendo colocadas com reserva, fica-se sempre com algum medo de dar o passo que falta.
mesmo que esse passo seja um erro. é comum, é natural, o erro. temos que aceitar que assim é.

4/8/05 13:36  
Blogger j disse...

Confesso que não me interessa saber (e perguntar-te...) quantos lados tens... Que me importa que possas ser um icosaedro???
Interessa apenas dizer que esse lado é muito belo!

16/8/05 19:04  
Blogger cassandra disse...

eu sou mesmo um icosaedro e sou mesmo bonita! porra, eu gosto disto: da embalagem, do conteúdo, da diversidade, da complexidade.

20/8/05 14:23  

diz ...