<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6455201\x26blogName\x3dsomatos+\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://somatos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://somatos.blogspot.com/\x26vt\x3d-4926936997051577480', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

junho 23, 2008

leitura do dia


hawken, paul, blessed unrest: how the largest social movement in history is restoring grace, justice and beauty to the world (penguin, 2008)

prós: recolhe, num documento sem paralelo, os motivos que fazem com que pessoas de todo o mundo se manifestem, protestem e digam não a governos, multinacionais e ao capitalismo global, e como podem elas, dessa forma, constituir um poderoso bloco anti-globalização
contra: não tem.

Etiquetas:

Blogger giacomo disse...

Nunca lê nada com que não esteja já à partida concordante? Just a question

27/6/08 00:15  
Blogger cassandra disse...

claro que sim! mein kampf de adolf hitler, diplomacia de henry kissinger, o fim da pobreza de jeffrey sachs, cozinha na itália de jamie oliver, o poder das ideias de isaiah berlin, o caminho para a felicidade de ron hubbard, para apenas mencionar os mais recentes. o facto de trabalhar numa espécie de talho de livros, faz com que eu aprecie muito mais a leitura de um livro que me ensina qualquer coisa do que a de uma obra que me desilude. e nunca estou à partida concordante com algo que nunca li: a leitura é uma descoberta sempre. senão nunca lia nada e acreditava apenas em mim e morria ignorante.

29/6/08 00:57  

diz ...