<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6455201\x26blogName\x3dsomatos+\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://somatos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://somatos.blogspot.com/\x26vt\x3d-4926936997051577480', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

agosto 22, 2005

aquela faculdade continua a não ter o meu curso em horário pós-laboral. não deve valer a pena. e provavelmente não compensa, de facto, em termos financeiros, ter professores em pós-laboral que, ainda por cima, iriam tirar grande parte dos alunos aos dignos catedráticos que por ali se pavoneiam. é claro que isso é que não pode acontecer nunca.
mas realmente... alguém consegue compreender uma coisa destas?
é que o cérebro até se me enrola todo a tentar perceber o motivo por que estas coisas acontecem sempre em portugal e de forma continuada no tempo!
ninguém aprende, pelos vistos. ninguém quer aprender com erros passados nem com modelos de educação superior cuja qualidade e eficácia estão comprovados.
isto irrita-me deveras! este jogo mal disfarçado de influências, de gente que já não se interessa pelo ensino e só tem o dinheiro como meta mensal.
e o pior, é que estão a criar professorezinhos e professorinhas exactamente iguais, com este tipo de mentalidade tacanha, que não gosta de premiar ninguém (porque "20s, só o professor é que merece"), que não está aberto a discussões que realmente pode levar uma investigação mais longe (porque "isso nunca foi feito"), que encara o trabalhador-estudante como uma nulidade em termos qualitativos (porque "se já trabalhas o que é que andas aqui a fazer?"), ainda que o dinheiro das propinas que ele paga para tentar fazer uma única cadeira num ano lectivo dê muito jeito)!

tenho dito. mas gostava que tudo isto mudasse.
Blogger S. disse...

Nunca ouviste dizer que "quem sabe, faz (trabalha); que não sabe, ensina" (nunca trabalhou na vida)?
:)
É por isso. Vidinha de estudante desde a infantil até à reforma, e não venham cá com cenas dizer-me que vida de estudante não é a melhor coisinha do mundo: empinar teorias e vomitá-las a seguir para uma folga de papel... Ha!

22/8/05 22:54  
Blogger cassandra disse...

mas há mesmo quem se sinta feliz apenas com isso??

22/8/05 23:04  

diz ...