<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6455201\x26blogName\x3dsomatos+\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://somatos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://somatos.blogspot.com/\x26vt\x3d-4926936997051577480', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

abril 11, 2005

friedrich nietzsche 1

i. o autêntico homem quer apenas duas coisas: o risco e o jogo. é por isso que ele deseja a mulher, o mais perigoso dos brinquedos.
ii. o guerreiro não gosta dos frutos açucarados. é por isso que gosta da mulher: mesmo na mulher mais doce há qualquer coisa de amargo.
iii. tema o homem a mulher quando ela ama; ela não recuará perante nenhum sacrifício, e tudo o resto lhe parecerá sem valor.
iv. tema o homem a mulher quando ela odeia; porque o homem, no fundo da sua alma, é mau, mas a mulher é ruim.
v. a felicidade do homem é dizer: «eu quero». a felicidade da mulher é dizer: «ele quer.»
vi. a alma da mulher é superficial, é uma superfície movediça e agitada. mas a alma do homem é profunda, a sua corrente ruge em grutas subterrâneas; a mulher pressente essa força, mas não a compreende.

friedrich nietzsche, assim falava zaratustra, livro i
Blogger cassandra disse...

parecem duas pessoas diferentes...

11/4/05 22:52  
Blogger LN disse...

não

uma só pessoa, dividida em si e por si

chega a fazer-me formigar os dedos este ódio visceral que tenho por este estrábico genial

12/4/05 12:13  
Blogger zibl disse...

Posso pedir para N. alguma indulgência quando ele fala de "mulheres"? Algo parece ter-lhe faltado, nesse campo, não me parece que tenha tido alguma vez ocasião de conhecer (no sentido bíblico e nos outros) mulheres. Teve a "desgraça" de se apaixonar por Lou Salome, e de não ter sido aceite como ele desejaria. Alimentou em relação a ela uma esperança numa relação de total partilha espiritual (e, espero eu, também física) que se gorou.... Em alguns trechos sobre o feminino, noto claramente o despeito. Claro, também as ideias vulgares da sua época sobre o "papel" da mulher.

12/4/05 15:18  

diz ...